terça-feira, 10 de julho de 2012

MERGULHO





mergulho em minha mente
não como o demente que se atira ao devaneio
nem o menino que mergulha o pão no leite
mergulho, busco o deleite
quero algo que me enfeite a sala de estar da cabeça
quero a cortina que se abre diante das janelas dos olhos
abrolhos que emoldurem e não firam

mergulho no oceano d'alma
ali aonde encontro a calma
ali aonde falo com DEUS
ali aonde encontro a forção da felicidade
ali aonde se esconde a veleidade
ali aonde encontro minha verdade

mergulho disposto a vir a tona só se necessário
ao contrário de muitos nunca me faço só
o nó que muitos não desatam, a parábola que es conde um caminho
sozinho nunca está quem ama
sozinho nunca esta quem é amado
solidão é fardo pesado para quem se basta
quem se afasta
porque quem ama tem um grande orgulho
um oceano de gente esperando seu próximo mergulho

(attilio imbroisi filho 10/07/2012 21 00hs)