quarta-feira, 22 de agosto de 2012

o sono do luciano



dorme agora
que é tempo de

deixa que serenas
as águas
não corram

faz-se silêncio
em tudo

(torreira, 2010)


luciano amaral