segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Os Bahá’ís de Semnan: Uma Comunidade debaixo de fogo

Os Bahá’ís de Semnan: Uma Comunidade debaixo de fogo:
Na cidade de Semnan(Irão), a perseguição dos Bahá’ís locais assume contornos singulares e alarmantes. A hostilidade persistente é bem patente na vigilância cerrada por parte das agências de segurança do Estado, nos discursos de ódio de funcionários administrativos, nas humilhações de crianças Bahá’ís, e em actos de vandalismo contra o cemitério Bahá'í.

Desde 2009 registaram-se dezenas de ataques contra um número considerável de Bahá'ís em Semnan; estes têm sido realizados por funcionários governamentais, grupos semi-oficiais e agentes à paisana. Pelo menos 30 pessoas foram presas, estando agora várias a cumprir longas penas de prisão; residências particulares e estabelecimentos comerciais têm sido alvo de ataques incendiários, e inúmeras empresas de propriedade de Bahá’ís foram encerradas pelas autoridades.

"Parece que em Semnan as autoridades iranianas estão a oprimir os Bahá'ís com uma intensidade particular, através da mobilização e coordenação de elementos oficiais e semi-oficiais", afirmou Bani Dugal, a principal representante da Comunidade Internacional Bahá'í nas Nações Unidas. "Estes elementos incluem vários gabinetes e departamentos governamentais, polícia, tribunais, autoridades locais, e o clero."

"Esta abordagem coordenada é ao mesmo tempo singular e alarmante. O seu objectivo é fortalecer cada vez mais a política definida há muito tempo de bloquear o progresso e o desenvolvimento dos Bahá’ís ", disse ela.

Estabelecimento Comercial de Bahá'ís selado pelas autoridades
Para os Bahá’ís no Irão a opressão tem sido uma característica das suas vidas desde a fundação da sua religião, em meados do século XIX. Mas desde a Revolução Islâmica de 1979, os Bahá’ís enfrentam uma estratégia de perseguição patrocinada pelo governo, sofrendo incontáveis ataques, detenções e prisões numa campanha sistemática que se intensificou em 2005 e alargou em 2008-2009.

O número de ataques contra os Bahá’ís de Semnan aumentou de forma desproporcionada após uma série de seminários e reuniões anti-Bahá'ís amplamente divulgados, que tiveram lugar na cidade em 2008 e 2009. Posteriormente, 20 famílias Bahá’ís viram as suas residências ser alvo de rusgas, em que foram apreendidos materiais Bahá’ís, computadores e telemóveis. Nove pessoas dessas famílias foram detidas, com base em acusações inteiramente falsas, relacionadas apenas com a prática da Fé Bahá’í.

Desde 2009, cerca de 26 Bahá’ís de Semnan foram condenados a penas que totalizam mais de 70 anos de prisão. Oito encontram-se actualmente presos a cumprir penas que variam entre os seis meses e os seis anos; outro Bahá’í, depois de ter estado preso, cumpre agora uma pena de exílio interno; quatro foram libertados sob fiança enquanto aguardam julgamento; oito foram condenados mas aguardam o resultado de um recurso, antes de começar a cumprir a pena. Muito outros têm sido interrogados.

Cemitério Bahá'í de Semnan após vandalismo
Há três meses atrás, Adel Fanaian foi condenado a seis anos de prisão por acusações que incluíam "mobilizar um grupo com a intenção de perturbar a segurança nacional" e "propaganda contra o regime sagrado da República Islâmica do Irão". Estas falsas acusações resultam simplesmente dos seus esforços para oferecer aulas de desenvolvimento moral para crianças e jovens, e ajudar os jovens a obter uma educação universitária.

Bani Dugal notou, contudo, que, apesar da propaganda de ódio anti-Bahá'í disseminada na cidade, a maioria dos cidadãos de Semnan aparentemente não tem qualquer má vontade contra os Bahá'ís, e muitos relacionam-se com eles. "Na verdade, os Bahá’ís têm muitos muçulmanos como parentes e amigos próximos", declarou.

"A situação deve ser cuidadosamente analisada por todos aqueles que procuram restabelecer o devido processo legal e o respeito pelos direitos humanos no Irão. Estes ataques levados a cabo por elementos semi-oficiais ou agentes à paisana reflectem mais uma tentativa insidiosa por parte do governo iraniano para desrespeitar os padrões internacionais de justiça, sem chamar a atenção para si próprio."

"Apelamos a todos os governos para que condenem a flagrante violação dos direitos humanos no Irão, direitos que estão estabelecidos em tratados internacionais de que o Irão é signatário".

----------------------------------
Sobre este assunto:
The Baha'is of Semnan: A community under fire (BWNS)
The Baha'is of Semnan - A Case Study in Religious Hatred