terça-feira, 28 de agosto de 2012

será o meu?


há tempo
dentro das paredes
para além das silvas
do portão gasto

há tempo
a espreitar
um olhar apenas
uma frincha de 

há a janela
a falar do que foi
vejo ainda um rosto
nela reflectido

será o meu?