sexta-feira, 28 de setembro de 2012

severa cruz


severa cruz






D!A DESSES EU OUV!RA FALAR D'UMA !LHA TROP!CAL, ONDE OCORRERA 1 CERTO GOLPE M!L!TAR, D!SSERAM Q !MPORTARAM CONHEC!MENTOS, TRAZENDO DOUTORES, C!ENT!STAS Y F!LOSOFOS DA GERMAN!A P/ ENS!NAR PRAT!CAS DE TORTURAS AOS SEUS !NGENUOS M!L!COS. ME FALARAM DE PRAT!CAS ABERRAT!VAS Y DESUMANAS, PRAT!CADAS EM SEUS POROES, EXPER!MENTOS DE TORTURAS COM DO!DOS, MEND!GOS Y CR!ANÇAS. RELATARAM-ME A H!STOR!A DE 1 SEM JU!ZO POR NOME DE: "ZE DA LUZ". SE! Q PEGARAM O CO!TADO Y O F!ZERAM FALAR, JURAR Y PROVAR Q ERA O CR!STO, JESUS.                                         F!ZERAM ELE ANDAR EM C!MA DAS AGUAS, CUSP!R EM CEGOS, Y TRANSFORMAR AGUA EM V!NHO P/ O DELE!TE DOS BANQUETES Y DOS BA!LES M!L!TARES... A EXPER!ENC!A FORA 1 SUCESSO ATE CERTO PONTO, FRACASSOU QUANDO O CRUC!F!CARAM Y O MESMO NAO RESSUSC!TOU. ACHO Q 1 P!NGO DE LUC!DEZ BROTOU NO AMAGO DO ZE DA LUZ. CA!RA A F!CHA DE Q NAO ERA O F!LHO DE DEUS, OU SE POR 1 MOMENTO SE TORNARA LUD!CO/LUC!DO Y DESC!D!RA NAO RESSUSC!TAR Y ASCENDER AOS CEUS P/ NAO VER A H!STOR!A SE REPET!R Y O TER Q ATURAR P/ SEMPRE OS M!LHARES Q USURPAR!AM Y ABUSAR!AM DO SEU SANTO NOME ENVAO... !SSO TUDOCORRERA NA !LHA DE SEVERA CRUZ.






-c.p.b.p.jr:

(O POETA-MATUTO-MARG!NAL)
XXV/XXVI-IX-MMXII