sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Justiça, Corrupção... e a esquerda?


É a imprensa vociferando com as decisões do STF, são os movimentos sociais que estão preocupados com os royalts, são nós militantes virtuais e repórteres amadores que estamos criticando ou apenas mantendo o status quo ao fazer comentários a favor ou contra a existência do "Mensalão", e quanto a Privataria Tucana - Nem se comenta! É uma infeliz realidade de nossa jovem política democrática, ao estado das coisas, pelas quais vivenciamos a todos nós brasileiros. Uma preocupação é latente, uma busca da sociedade brasileira, para estancar a impunidade, para evitar que corrupção política saia impunemente e injustamente, sem a devida condenação legal! Mas antes de continuar a seguir as grandes massas, como no símbolo literário 'de seguir a corrente dos carneiros para o precipício'. Para quem entende, entende muito bem!

O que estou dizendo é tirar a pé do acelerador, tirar as mãos do volamente, deixar fluir mas 'parados como uma meditação', para que possamos pensar um pouco... o que seria a justiça? Alguns objetam que a justiça vêm a reparar a um mal feito, mas todo mal, prescinde de um bem, esse mesmo bem não existe por si mesmo. Pois tudo não se passam de perspectivas, como dizia Nietzsche "Não há fatos, apenas interpretações", as nossas perspectivas do que seja justiça é absolutamente injusta para um sentimento ao contrário, como em uma avenida de duas mãos, dois sentidos, mas apenas um meio - saindo do ambito simbólico e indo para o concreto, da realidade nua e crua, da materialidade - estou dizendo que a sociedade brasileira é uma só, talvez composta por grupos que se unem em movimentos sociais, como empresas, como sindicatos e porque não como partidos? Um partido, pelo seu próprio nome diz é uma parte de uma sociedade, é neste quesito que questiono denovo 'o que vem a ser justiça?' ela pode ser simplesmente manter a atual ordem e estado das coisas, ou em contrário ter um carácter de profundo progresso social ao definir rupturas históricas, no ambito político, social, econômico e etc... na integralidade de toda a nossa realidade. Mas vamos além, além desse discuso, além desse debate, dessa redundância...

O que está acontecendo, sob uma perspectiva da esquerda brasileira é uma renovação de suas idéias e de seus métodos, uma revolução política na própria esquerda brasileira, uma revisão do que aconteceu com o alegado "Mensalão", da ação penal 470, mas também uma injustiça sob a perspectiva da mesma esquerda, mas como assim? Não entendi! Sim, há uma característica plural da atual "crise política" da esquerda brasileira, abrindo-se novas perspectivas dentro da própria esquerda brasileira, depois do Governo Lula - nosso labotatório brasileiro de políticas sociais - para o projeto de Dilma, de Marina, da Heloisa Helena, da própria Soninha Francine, e ai vão as renovações das novas lideranças da esquerda, algumas mais revolucionárias outras mais reformistas, socialistas enquanto senso de justiça política, mas profundamente comprometidos em termos de responsabilidade social em lutar contra a corrupção, para superar a falência partidária e voltarmos aos brilhos, da moral e da ação do movimento dos caras pintadas!

Uma crítica, uma idéia, mas uma realidade... Assim é que entendo!

Veja mais Lincoln Secco: A guerra contra a esquerda no Brasil!