sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

não é natal




não me peçam
o poema
vendável
consumível
digerível
a inventar
sorrisos
onde um rictus
se desenha
no acordar dos dias

amargo tempo
este
onde miseráveis
invertebrados
semeiam
miséria
fome
tristeza de

não
não é natal
é tempo
de cavaco
pôr o coelho
nas palhinhas

http://ahcravo.wordpress.com/2012/12/21/nao-e-natal/