sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Jan 2013 - Ao som de Neil Diamond.


Estou cantando outros tempos,
outros momentos,
 com Neil Diamond.
Recordei muitas ausências.
Naquele tempo,
as canções eram profundas.
Mocidade.
Movimentos.
A dinâmica de curtir a vida plenamente,
 com a turma.
Em 1968,
em 1969 ...
1975,
E por aí continuo me expandindo.
Os jornais, as revistas, a vila ...
As ansiedades, o colégio,
a sociedade.
Época em que nos
 dirigíamos ao inegável.
Sempre aguardávamos
a conclusão dos processos.
Tudo era bem diferente.
Parecia complicado.
Mas era simples.
Simples ideologias,
simples idéias.
Éramos ingênuos inconformados.
Não éramos mal
 ou falsamente informados.
Éramos críticos.
Tínhamos livros, discos ...
Filosofias.
Éramos reais.
Só queríamos liberdade.
De ser, de pensar, de escrever ...
Sei lá.
Tudo mudou.
Só que o tempo infelizmente,
parou de romancear.
De uns tempos pra cá,
Ninguém mais consegue se localizar.
Foi tudo perdido.
Até o amor está desiludido.
Nunca mais o que plantamos,
 vai voltar ?
Os anos se foram.
Olhos fragilizados escondem lágrimas.
A violência, a maldade, a politicagem,
são tão verídicas.
Sinto-me uma sobrevivente
dos posicionamentos que explicavam.
Da esperança saudável
 que nos embalavam.
Que pena que estão hoje incubados
os impactos emocionais.
Insensibilidades, omissões ...
Tempos difíceis.
Impotente,
apenas expio com tristeza,
essas deformações espirituais ...

Cecília Fidelli.

- Ao som de Neil Diamond -
Full Version - 1971