quarta-feira, 10 de abril de 2013

cebola



Não é à toa, também nem a propósito,
Mas a vida de hoje parece um depósito.
Um armazém de agruras, amarguras represadas,
Todavia nunca repensadas e transformadas.

Muito mais fácil reclamar a conclamar,
Muito mais fácil culpar a exortar.
Errar é humano?
Achar o culpado então, um exercício tirano.

É o tal desgoverno, desamor, despudor, desfavor,
Menos o vamos à luta, pegar a enxada à labuta, ou plantar-se para colher a fruta.
Pois é, reclamar da barato... Reagir? Coisa tola
O seguinte engole a mágoa, disfarça o chora, faça de conta que descasca uma cebola