segunda-feira, 17 de novembro de 2014

crónicas da xávega (25)

agostinho trabalhito

(para o Manuel Silva-Terra com um abraço do mar)

abre-se a janela e
um livro
palavras semeiam luz
página a página
o sentir
à flor de
tudo treme
a beleza
um copo de água
não se interpreta
bebe-se
os teus poemas
agostinho trabalhito
(torreira; companha do marco, 2013)

http://ahcravo.wordpress.com/2014/11/17/cronicas-da-xavega-25-para-o-manuel-silva-terra/