sexta-feira, 10 de abril de 2015

crescer para o mar

o arrais marco silva


crónicas da xávega (58)

crescer para o mar


ajoelha-se o homem para o trabalho
minucioso do tecer das malhas

arte secular aprendida no areal
onde por vezes o pão chega prateado
espalhando sorrisos e esperança
que nem sempre a lota contempla

ajoelha-se o homem e pede ao senhor
pão que baste para tão sofrido suor

erguer-se-á o homem e crescerá
para o mar

(torreira; companha do marco; 2013)

https://ahcravo.wordpress.com/2015/04/10/cronicas-da-xavega-58/