terça-feira, 24 de novembro de 2015







os moliceiros têm vela (164)




meço o tempo pelo cansaço
por esta coisa chamada corpo
desistente quase de ser
dizendo-se a cada instante
sussurrando-se-me

é pelos olhos que regresso
e somos todos ainda
velas sobrevoando os dias
num bando de abraços

olhar é sentir ontem hoje
sentir só



(murtosa; regata do bico; 2009)

http://ahcravo.com/2015/11/24/os-moliceiros-tem-vela-164/