segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Loucura

Assim eu te amo, assim; mais do que pode
A vã filosofia, mais do que vale
Cantar teu nome aos quatro cantos:
O que é belo, o que é justo, louco e apaixonado
Amo-te!
Por tudo quanto sofro pela distância,
Por quanto já sofri, por nossa separação.
Pela graça do teu sorriso
Pela beleza do teu olhar
Pelo silêncio do momento
Com quanto amor eu te amo,
Mulher tão terna, tão doce, tão desejada!
Esta paixão desmedida, louca,
Sem razão, a não ser a do coração,
Só pode no teu beijo achar consolo,
Nos teus braços meu abrigo.