sábado, 28 de março de 2015

anoiteço-me

correm os homens antes que as cordas


crónicas da xávega (55)


anoiteço-me

trago mar nos olhos
como se praia todo eu
areal onde ondas e espuma

sonho um barco
e é tarde cada dia mais
anoiteço-me

(torreira; companha do marco; 2014)

https://ahcravo.wordpress.com/2015/03/28/cronicas-da-xavega-55/