sábado, 21 de setembro de 2019

aos marronteiros

cai no talho o sol
pare o sal

assassina a chuva
tão incerta

vai mau o ano

(armazéns de lavos; mexer; 2019)

https://ahcravo.com/2019/09/21/a-beleza-do-sal-63/

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

presunção





quando já cá não estiver
talvez se lembrem de mim

sempre a falar de mar

(leirosa; lavar do saco; 2019)

https://ahcravo.com/2019/09/19/cronicas-da-xavega-316/

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

poemas de amor





inventar a amada
depois escrever o poema

é cansativo e inútil

(torreira; safar redes; 2019)

https://ahcravo.com/2019/09/18/postais-da-ria-327/

domingo, 15 de setembro de 2019

não




não
não gosto do homem velho
é pesada a herança que deixa

refinamento do cinismo
violência encapotada
ódio dissimulado
assassino e suicida

não
não gosto do homem velho
por muito mau que seja o novo
não pode ser pior

não
não sou pessimista ainda sonho
por isso estou aqui
e digo não


(morraceira; enfeitar; 2019)



https://ahcravo.com/2019/09/15/a-beleza-do-sal-62/

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

com as pedras





com as pedras que me atiraste
não fiz um castelo

lancei-as ao mar
e fiquei a ver como se afundavam

antes elas que eu

(praia da leirosa; carregar o saco seco; 2019)

https://ahcravo.com/2019/09/12/cronicas-da-xavega-314/

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

a sombra




desenhar o contorno
preenchê-lo

deixá-lo assim cheio
de nada

eis a minha sombra

(costa de lavos; 2019)

https://ahcravo.com/2019/09/02/cronicas-da-xavega-313/

Gente de Palavra - Homenagem a Carlos Galdino

Viver tem valido a pena! 
Ver e ouvir, andar com a poesia por todos os cantos, exercitar o abraço amigo, sentir o calor humano, rever amigos, reencontrar pessoas e lugares, fazer novas amizades, desbravar fronteiras sentindo a felicidade de estar ao LADO  de pessoas lindas e sensíveis.

Especial agradeço ao Rubens Jardins pelo convite, mas não ousarei agradecer citando nomes? Hum... É um grande risco de cometer injustiça, sintam-se inclusos neste agradecimento e saiba que eu senti a energia e felicidade de estar ao lado de todos.

Gente de palavra é um oásis no meio do caos paulistano e ser homenageado vivo (o que é raro) por pessoas maravilhosas, talentosas e por alguns que eu não conhecia foi motivo de orgulho e alegria.
Muito obrigado a todos.





Fotos:



Fantasia



                                         

A noite viu meu amor que suspirava por ti sob a sombra da Lua. 
Eu era o bardo cuja poesia intensa fizera rimar a nossa paixão.
E a noite era a nossa união, loucamente perdida entre nossos beijos ardentes. 
Quando nossos olhares languidos, arrebatadores se encontraram Sentimos que a música era o riso embriagado 
E que o riso embriagado era da nossa felicidade repentina.
Nosso amor lembrou-se da noite cheia de estrelas e cujo suspiro era a poesia eterna 
E a angústia cresceu no nosso coração como as ondas eternas. 
E nos possuímos sob o luar chorando e adormecemos. 
A noite continua chamando o poeta como ecos distantes 
Enquanto isso ele chora nos braços da amada...