terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Paixão



Paixão avassaladora que invade meu ser
Por ti cantei ao mundo meu amor
E gritei teu nome pela noite sem fim
A cada toque teu
A cada beijo
A cada desejo
Entreguei-me
Amei
E fiz do nosso leito de amor um templo
Em tua homenagem
Desfraldei a bandeira do amor
E senti em nossos corpos banhados pelo suor da paixão
A intensidade do teu amor
Senti no teu beijo a vontade de amar incessantemente
De querer que estes momentos nunca terminassem
De fazer do nosso amor o simbolo da eternidade.
Por ti entrego minha alma
Pois somos almas gemêas
Caminhando para o infinito
Desejando que estes momentos sejam eternos.
Amo-te musa amada.



sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Kotzen Kover (cover) no Manifesto Bar

dos deuses






como se da caverna
saído
ofusca-me tanta luz

vejo o bisturi cortar
preciso
os mais ínfimos
detalhes
matando os deuses

sombras caminham
sombras
que sombra fazem
nada mais

como se da caverna
saído
ofusca-me tanta luz

os deuses
também morrem

(torreira; 2011)

https://ahcravo.com/2018/02/09/postais-da-ria-242/

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Tá na mesa - Carlos Benethi

ser da terra






ser da terra
não é por nela
berço ter tido

ser da terra
porque herdada
sabe a monarquia
em tempo de república

seja a gente da terra
a fazer-te um deles
ou negar-te
sê e faz

hoje sou vela e vento

(torreira; regata da ria; 2010)

https://ahcravo.com/2018/02/07/os-moliceiros-tem-vela-297/

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

da vida






(“não há ensinamento maior que o exemplo” - bruno vieira amaral)

no fim
muito próximo
do fim

desaprendi

(espinho; recriação da xávega com bois;  2012)

https://ahcravo.com/2018/02/06/cronicas-da-xavega-234/

Amor Infinito


Como posso amar-te tanto?
Pergunto-me e só escuto meu coração clamar por ti
Nosso amor é profundo, enraizado na alma
Amar e desejar,
Amar e odiar,
sentimentos fortes que dominam meu ser,
sempre amar-te, até ficar hipnotizado pela paixão.

Teus olhos são as janelas da tua alma,
Linda, esplendorosa, apaixonada.
Amar o que o mar traz à praia,
Amar você por inteiro,
Amar o pratear da Lua,
A brisa marinha quente e úmida como nossos beijos
Tudo é belo, como teus cabelos a me envolverem,
Será verdade?

Amar profundamente as estrelas na noite azulada,
Amor incondicional ou simplesmente paixão?
Amar você, um sonho realizado,
Uma flor que renasce, um chão de pétalas,
E um coração que bate com força,
Um sonho, e uma ave de paz.

Este é o nosso destino: amor sem fim,
distribuído pela nossa vida,
doação incondicional a uma grande paixão,
e na cama repleta do teu amor,
Procuramos-nos com as mãos tremulas de emoção,
Em busca de  mais e mais amor.

Amar com intensidade, e no beijo calado, e na sede infinita, todo nosso amor à flor da pele.



segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

tenho sede






tenho a boca seca
de tantas palavras
e tão pouco nelas

como são pequenas
querendo ser algo
intenção apenas

um copo de água
um abraço
um ombro onde

escreva o poeta
poemas
eu quero gestos

tenho sede
da que se mata
com água

(armazéns de lavos; achegar; 2017)

https://ahcravo.com/2018/02/05/a-beleza-do-sal-37/

domingo, 4 de fevereiro de 2018

redeiros






arte minuciosa essa
como se de aranha
labor de mãos sábias

recolho nelas
o terem sido antes de mim
muito antes
as mãos dos meus maiores

mãos duras e simples
de trabalho
mãos transparentes
e límpidas

mãos que faço minhas
com orgulho
de ser deles mais um

não escrever eu
como eles rede faziam
é o que me dói

(torreira; 2015)

https://ahcravo.com/2018/02/04/maos-de-mar-45/

Talvez tivesse intacta a paixão



Se não fosse o dia do rodizio
Se não fosse o preço do pedágio
Se não fosse a folga cancelada
Talvez tivesse com o ´pé na estrada

Se não fosse a tal da distancia
Se não fosse a saudade
A ânsia,o despertador
Talvez resistisse o amor

Se não fosse o atraso
O transito
Se não fosse o aplicativo
Talvez tivesse mais vida ao vivo.


CarLos Galdino  

sábado, 3 de fevereiro de 2018

para a ana




os anos passaram
rolos de corda
de uma outra safra

lembro-me de ti
e do alfredo
a teus pés menino

quantos rolos ana
quantas safras
o alfredo a crescer
a cada ano

um homem grande
o teu filho
menino por dentro
a sorrir

hoje lembrei-me de ti ana

(torreira; 2010)

https://ahcravo.com/2018/02/03/cronicas-da-xavega-233/

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

deixa-os descobrir





deixa que pensem
a higiene mental diária
só lhes faz bem

ignoram porém
que tu também

as pedras no caminho
há sempre pedras no caminho
não são exclusivo de ninguém

deixa que pensem
que só as há no teu

entre a ignorância
e a sabedoria
a fronteira é ténue

deixa-os descobrir

(torreira; saco de berbigão de 20 kg; 2009)

https://ahcravo.com/2018/02/02/postais-da-ria-240/

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

o moliceiro






a água quebra
a rocha

o vento dobra
o ferro

o homem escreve
um sonho

palavras com vela
por sobre as águas
levadas pelo vento

o moliceiro

(murtosa; regata do bico; 2012)

https://ahcravo.com/2018/02/01/os-moliceiros-tem-vela-296/