sábado, 25 de janeiro de 2020

como pedras





como pedras
as palavras
cortam os dias

navios outros
desta recusa
de naufragar ainda

(torreira; s paio; 2012)

https://ahcravo.com/2020/01/25/postais-da-ria-341/

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

procuro





procuro na areia
a pegada ténue
dos dias solares

a vida

(praia da leirosa; 2019)

https://ahcravo.com/2020/01/24/cronicas-da-xavega-333/

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

corres




corres
não sabes
de outro andar

corres
sem destino
corres

que importa
se partir é urgente
e hoje dia de largar

(torreira; safar redes;2017)

https://ahcravo.com/2020/01/23/postais-da-ria-340/

quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

hoje




hoje não estou aqui
não sei onde estou
nem perto nem longe

ando perdido em mim

(torreira; regata da ria; 2019)

https://ahcravo.com/2020/01/22/os-moliceiros-tem-vela-386/

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

METAS E SUCESSO

Uma Poesia Para Raul - XII



Agora sei o que é ser poeta
Não é nada mais do que sofrer
Gerar rebentos, e perdê-los de vista...
Esqueço a dor
Leio em teus olhos,
Indescritível prazer em adotá-los
Tentar abortá-los, jamais
Angelita... Você os merece!


Manoel Hélio Alves, é poeta, natural de Macarani, Bahia.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

as vascas





habitam um tempo
sem tempo
uma casa minúscula
para tanto

da areia ao betão
o peixe como modo de vida

quando jovens
andarilhas
levavam às aldeias
peixe do mar

em marcha acelerada
o pregão soava
pelas ruas

peixinho do mar
freguesa

são as vascas
e tanta torreira nelas

(torreira; 2009)

https://ahcravo.com/2020/01/20/as-vascas/

Para esquecer de ontem




Em uma esquina qualquer do Rio de janeiro
Entre o medo e a desconfiança de um pernambucano paulista
Eu sento para escrever um poema
Tomar um chope
Chapar o coco com o caos e a beleza da Cidade Maravilhosa
E esquecer a derrota de ontem.





Carlos Galdino


Poeta, radialista, fotografo
Autor dos livros
Achados & Perdidos e Poemas quase sinceros e outras mentirinhas.



terça-feira, 14 de janeiro de 2020

o melhor




o melhor de mim
não to posso dar

deixei-o um dia
nos braços do mar

(praia de mira; 2008)

https://ahcravo.com/2020/01/14/cronicas-da-xavega-332/

Uma Poesia Para Raul - XI


Estou no ano dois mil
Falando de amor pra você
Tomando Coquetel Molotov
E comendo sanduíche de Brazil

Meu querido ABC
Não me esqueço de ti
Entre André's Bernardo's e Caetano's
Eu fiquei com Luciana

Em qualquer bar do Planeta
Vejo o nosso "filme" na TV
É tão legal meu amor
Quando nós sabemos o final

Estou no ano dois mil
Falando de amor pra você
Os meus conflitos ainda
Não foram para o divã


Manoel Hélio Alves, é poeta, natural de Macarani, Bahia.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

se






se virem que estou a morrer
não me tragam um padre
para me dar a extrema unção

prefiro uma mulher bonita
e um poema de eugénio de andrade.
a morrer que seja em grande

(morraceira; enfeitar; 2019)

https://ahcravo.com/2020/01/13/a-beleza-do-sal-74/

Igual




Em uma esquina qualquer de Buenos Aires
Sento para tomar café,
E, quem sabe,
Escrever um poema.
Um poema qualquer.

Hermanos passam apressados.
Lembro Sampa.
Tudo igual!
Menos o café
(pequena cacimba barrenta),
E minha pela preta de pernambucano preto

Em uma esquina qualquer de Buenos Aires
Sento para tomar café,
Um tango reverbera ao longe
E eu rabisco num guardanapo
Minha alma é frevo!





Carlos Galdino


Poeta, radialista, fotografo
Autor dos livros
Achados & Perdidos e Poemas quase sinceros e outras mentirinhas.



quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

terça-feira, 7 de janeiro de 2020

Uma Poesia Para Raul - X



Reminiscências
Inóspitas paisagens
Terrenos movediços
Impossíveis de navegar
Nau errante à deriva
- Hélio! Você vai se afogar!
Ainda recordo


Manoel Hélio Alves, é poeta, natural de Macarani, Bahia.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2020

ama





ama no outro
o seres tu e

em ti
o saberes ser
o amor pelo outro

(torreira; safar redes; 2019)

https://ahcravo.com/2020/01/06/postais-da-ria-338/