sexta-feira, 15 de maio de 2015

não prestas


não matem os moliceiros



os moliceiros tem vela (107)


não prestas

braço a braço vencer
o cansaço
de tanto peso morto
pendurado
no sol de haver quem
o traga

a água  chega-te
fresca
à boca alheio suor
a trouxe

no dizer da terra
de bico amarelo
os que como tu

eu digo
não prestas

(torreira; regata s.paio; 2014)

https://ahcravo.wordpress.com/2015/05/15/os-moliceiros-tem-vela-107/