quinta-feira, 1 de março de 2018

eis o poema






semeia as palavras
ao sabor do sentir
sê nelas

revê-as com a razão
encontra-lhes ritmos
os teus

refaz depois a sementeira
mas cuida de quem
a poderá colher

de nada servirá
o que semeares
se não for colhido

caminha pela areia
carregado e sereno
eis o poema

(torreira; 2012)

https://ahcravo.com/2018/03/01/cronicas-da-xavega-237/