domingo, 8 de março de 2015

falo de amor

abraço o silêncio


postais da ria (72)



falo de amor

como se de carne
a palavra
quando o teu nome
letra a letra

medo de te dizer
e te perder no ter dito

dentro de mim
no segredo do indizível
permaneces

como se de carne
a palavra
abraço-te devagar

sinto-te
letra a letra
salgado

falo de amor

(ria de aveiro; torreira)

https://ahcravo.wordpress.com/2015/03/08/postais-da-ria-72/