quinta-feira, 23 de abril de 2020

Uma Poesia Para Raul - XXII



Luz, de ondes vens?
Encandeias meu ninar,
Energia vitalizadora...

Fantasmas, de onde vens?
Assustas meu sono,
"Santa Inquisição" da infância...

Horizonte, de onde vens?
Embalas meus sonhos,
Caminhos trilhados por muitos...

Marginal, de onde vens?
Fecharam-te todas as portas,
Abro-te minhas janelas...


Manoel Hélio Alves, é poeta, natural de Macarani-BA, mora há muitos anos em São Bernardo do Campo-SP.

Acompanhe o projeto do livro Uma Poesia Para Raul, através do Facebook, clique AQUI.

6 comentários:

  1. Show ,boas reflexões que luz é essa tão viva e presente dentro da gente, parabéns Manuel ,poema lindo.
    Novos temos estão a surgir.gratidao

    ResponderExcluir
  2. Parabéns nobre amigo e poeta! Transmite várias reflexões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado meu amigo Eduardo Samuel Ferreira pelo seu comentário!

      Excluir
  3. Interessante. Principalmente a última estrofe. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Isabel Cristina pela sua leitura e comentário!

      Excluir