quinta-feira, 23 de maio de 2013

nunca




sentou-se na margem dos dias
cerrou os olhos
sorriu
e

não
era ainda muito cedo
não sabia sequer se haveria um quando
para

levantou-se
sacudiu a roupa suja do pó do tempo
abriu bem os olhos
sorriu
e

ainda hoje abre caminhos

http://ahcravo.wordpress.com/2013/05/23/nunca/