domingo, 15 de dezembro de 2013

ÁRVORE NO RIO DE JANEIRO É LIXO



Um blog sobre Literatura, Arte, Cultura e Memória.
sábado, 9 de novembro de 2013
ÁRVORE NO RIO DE JANEIRO AGORA É LIXO 


Menos uma árvore na Tijuca( rua Haddock Lobo 389) assassinada na semana passada: menos oxigênio, menos sombra, mais cimento, menos saúde. Também pudera, quem cuida das árvores no rio de Janeiro na gestão do Paes é a Comlurb. Isto mesmo, árvore agora é tratada como lixo.


                                         Haddock Lobo,133 - Virou calçada





                              

Apesar do meu protesto, também virou calçada.

Solicitei em maio via 1746 (que não funciona para reclamações) o plantio de três árvores na rua Haddock Lobo cujos locais reservados para árvores correm serio risco de virarem calçada, e até hoje a Prefeitura não me atendeu.
No dia 30/09/2013 liguei para o fatídico 1746 para falar, novamente, sobre o meu pedido (protocolos Rio – 3540638-8 e Rio- 42283820 – tive que ligar duas vezes porque desligaram o telefone) e me disseram que a previsão era para 29/11/2013. Observem quanto tempo a Prefeitura, vou escrever com p minúsculo, a prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro leva para atender a um pedido de plantio de árvore. Atender ao meu pedido??!!! Ledo engano, no dia 10/12/2013 cimentaram, como eu tinha certeza que aconteceria, os dois locais na calçada em frente ao número 127. 

Liguei, novamente, contrariado, para o maldito número. Deveria ter ficado registrado, não acredito, sob o protocolo Rio47700998-2, o que me disse o atendente “ Se for o caso, abre-se o buraco novamente. Como se eu acreditasse...
No dia 12 de dezembro recebi o seguinte recado no meu celular:
“O motivo de fechamento sem possibilidade de atendimento foi por condições impeditivas à realização do serviço. (Rio-3540638-8) dúvidas: 1746”

O local onde morava a árvore, em frente ao número 389, da pobre rua Haddock Lobo, 



está, hoje (15/12/2013) desse jeito:



É fácil imaginar o que vai acontecer... E, assim, vão se acabando as árvores da Tijuca. Pior que não vejo ninguém ao meu lado para reclamar, triste fim...

A próxima é essa, na rua Barão de Iguatemi, em frente ao número 184.



Porque será que os moradores não se mobilizam para exigir o replantio das árvores assassinadas? É por conta desse pensamento ignorante de destruir a natureza, que as catástrofes estão ocorrendo cada vez mais amiúde. Estão acabando com as fábricas de oxigênio da grande Tijuca, antes uma das regiões mais arborizadas do Rio, com o intuito, descarado de proteger os fios da Light. Pior para a população ignorante: mais sol na cabeça, ar poluído, calor, enchentes, etc. Em contrapartida, menos saúde.
Em tempo: a prefeitura não tem mais ouvidoria, motivo óbvio.

Mario Rezende