sábado, 15 de março de 2014

a construção da memória






o arrais joão da calada e a a junta de bois


escrevo o tempo
na areia dos dias
e sei
que nada é eterno
apenas prolongo
o ter sido

as memórias
que ofereço
são o meu tempo
que deixa de ser meu
para ser nosso
para ser vosso

isso tenho feito


(torreira; séc. XX)

ao arrais joão da calada, que comanda a junta de bois, devo muito do que sei sobre as gentes e a xávega do seu tempo

http://ahcravo.wordpress.com/2014/03/15/xavega-no-tempo-dos-bois/