sábado, 11 de outubro de 2014

Autoesboço



Grito e sufoco o sufoco num momento intempestivo

Ladro e me arrependo, pra não ficar de joelhos

Sou certa naquilo que percebo e sinto, mas o certo nem sempre me dá crédito

Então, preciso do que me carece e aí aterrisso no viés da linha ininterrupta que desenha a corda bamba da minha vida

Gosto do que me atiça e dispenso o que põe na curva uma possível adrenalina

Controlo meu tempo fazendo o que cabe a mim por direito, sem frescuras ou titubeação

Daí em diante, nada mais interessa pra minha alma que é inquieta.