sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

porquê contar

como se carregassem os dias



crónicas da xávega (121)


porquê contar


começa um ano
continua o tempo

por sobre a areia
nem pegadas
que o vento

das gentes pó
a areia o mar
a memória

fica o retrato a falar
do que perdi a conta

tempo houve em que
era assim
ainda é ainda é ainda

não conto nada
registo o que posso

(torreira; século XX)

o carregar das redes para secarem ao sol

http://ahcravo.com/2016/01/01/cronicas-da-xavega-121/