terça-feira, 10 de maio de 2016

nem isso




quase nada

postais da ria (160)


nem isso

(TABACARIA

Não sou nada. 
Nunca serei nada. 
Não posso querer ser nada. 
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.
................... 

Álvaro de Campos)


sequer os sonhos
apenas estas linhas
perdidas no branco

esta sombra
coisa nenhuma
a esvair-se

ao fundo
muito ao fundo
uma voz

nem isso

(torreira)

https://ahcravo.com/2016/05/10/postais-da-ria-160/