segunda-feira, 30 de outubro de 2017

escrevo porque


diz-se arribar

por vezes
só os barcos arribam
à mesma praia

não escrevo
para que me oiças

escrevo porque sinto

(torreira; 2013)

https://ahcravo.com/2017/10/30/cronicas-da-xavega-214/