quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

fui com o vento





fui com o vento
com o mar te deixei

somos as nossas palavras
deverias sabê-lo

fossem barco as palavras
partiriam e voltavam

mas as palavras não são barcos
só sabem partir

há tanto mar no vento

(torreira; 2016)

https://ahcravo.com/2017/12/21/cronicas-da-xavega-222/