domingo, 7 de janeiro de 2018

O meu poema novo                           

O meu poema novo não tem novidade
a minha idade
não é nunca a mesma
o que é bom passa a gente quase nem vê
o que é ruim tem passos de lesma

o meu poema novo
quem dera fosse mesmo um poema
e falasse de amor
e de flores

o meu poema novo
é assim: já velho
breve
nasce morrendo sem
ainda sem ser lido

meu poema novo? Ora!
não leiam
a novidade está nas páginas dos jornais
quem sabe?

em meu poema novo
não cabe!
não cabe!
tanto coração partido
e tanta gente na rua
a mulher nua
a dama e seu luxuoso vestido
não cabem os classificados
nem os desclassificados
não cabem horóscopos
nem a queda do helicóptero
não cabe o sorteio da sena
(nunca vi quem tenha ganhado)
não cabe a cena da novela
nem a vela para o defunto
nem tudo junto
nem separado
o meu poema novo é assim: rasgado.



Olá! é com grande satisfação que estréio aqui na Tribuna Escrita.
agradeço o convite do camarada Manoel Hélio.
Então aproveito para convidar a ler e acompanhar as publicações semanais:fotos,poesias,coberturas de eventos.

Carlos Galdino.