segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Sou o Amor


               

Acordo assustado a tua procura. O luar 
É como o reflexo da tua alma em mim 
E sem destino, e louco, sou o amor
Perdido, soturno e sem fim. 

Converso com a noite, envolto em paixão;
E meus braços  como ímãs, atraem as estrelas
E com elas escrevo teu nome
Grito de emoção na voz do vento. 

Sou o mar! Sou a Lua!
Sou um verso apaixonado e sem razão
Que te ama em silêncio. 

Enorme. E como o mar dentro da noite 
Num constante arremesso sem fim 
Eu me despedaço contra o infinito.