terça-feira, 19 de novembro de 2013

Hospício


Hospício
(André Anlub® - 2009)

Salientaram no hospício: 
- ninguém iria comer!
Injeções na testa... 
Mais que um sacrifício.

Uma doutrina errada, 
condições terríveis,
faces amarguradas,
pessoas mais que sensíveis.

Não tinham valor algum,
exclusos da sociedade.
Pessoas novas e de idade, 
somavam um mais um.

Indigentes obscenos - cenas do dia a dia.
Pretos, brancos, morenos... 
Sujeitos à revelia.

Desprezados pela verdadeira família,
Inúteis sem poder reciclar;
cães expulsos da matilha,
sem ter mais em quem amamentar.

Aos montes iam se definhando,
em um frenético vai e vem;
homens mortos andando,
passos calmos pro além.