terça-feira, 21 de janeiro de 2014

crescer no mar





começam cedo
o sal corre-lhes nas veias
como se leite bebido
em berço de areia
à beira mar embalados

correm miúdos trôpegos
pelo areal
escutam no mar a voz
que os chama
são
árvores plantadas à beira mar
pelas mãos dos que seus pais

conheço-os vejo-os crescer
enquanto sou

quem sabe
um dia
falarão de mim

quisera vê-los
arrais


(sérgio silva; torreira; companha do marco; 2010)

http://ahcravo.wordpress.com/2014/01/21/quisera/