sábado, 18 de janeiro de 2014

por sob o silêncio




subterrâneas as palavras
fluem
inquietas de silêncio
murmuram-se

florirão
quando for tempo
nunca antes

(feira medieval de penela; 2013)

http://ahcravo.wordpress.com/2014/01/18/por-sob-o-silencio/