segunda-feira, 22 de setembro de 2014

antevisão da ria





“a ria está morta. não vejo bateiras”
(palavras de meu pai no verão de 2014)


estou vivo e assisto

tudo tem o seu tempo
não descontando o tempo
que os homens ao tempo roubaram

o que foi não voltará a ser
haja quantos programas inventem
mataram e deixam morrer

vendilhões de um templo outro
vendem-se e vendem os que ainda não
pantomineiros de um futuro inexistente

estou vivo e assisto

as palavras são apenas isso
palavras
as imagens a denúncia insuficiente
a beleza
ilusão para quem não tem outra memória

já é pouca a vida que resta
ao que resta de ter havido

a solidão ameaça os dias
depois de todos terem partido

estou vivo
mas não para isto

(ria de aveiro; torreira)

http://ahcravo.wordpress.com/2014/09/22/antevisao-da-ria/