domingo, 2 de novembro de 2014

da memória dos dias



os olhos que te viram não são os mesmos


avariado corpo
não meu

eu o outro
no corpo avariado

no espelho quem me vê
é o outro
não eu

eu fico escondido de mim
intemporal e são

são quase horas de


(torreira; companha do manel dias; 2005)

http://ahcravo.wordpress.com/2014/11/02/da-memoria-dos-dias/