terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

das mãos

salgadas mãos, estas


crónicas da xávega (48)


das mãos

tenho pelas mãos
a paixão
de serem elas

olho-as e vejo-as
sinto nelas
os olhos sorrirem

(torreira; companha do marco; 2013)

https://ahcravo.wordpress.com/2015/02/03/cronicas-da-xavega-48/