domingo, 3 de abril de 2016

quem dera tu


os moliceiros, como a vida

os moliceiros têm vela (199)


quem dera tu

os dias têm o tamanho
de sempre

mas entre o nascer e pôr
as horas de sol
nem sempre as mesmas

acolhem-me os hoje
onde os ontem
são promessas de amanhã

o caminho estreita-se
crescer é diminuírem os dias
sermos mais e menos

divago por entre memórias
existo ainda
por isso escrevo só por isso

não te escrevo
escrevo-me

os dias têm o tamanho
de sempre
quem dera eu também

quem dera tu

(murtosa; regata do bico, 2012)

http://ahcravo.com/2016/04/03/os-moliceiros-tem-vela-199/