sexta-feira, 30 de junho de 2017

ao moliceiro desconhecido



eis o homem
sejam nele todos quantos
antes muito antes
araram e ceifaram a ria

límpidas e puras as palavras
como então as águas
que sulcavam a bordo dos seus barcos

homens sem nome sem rosto
moliceiros desconhecidos
a quem a terra que adubaram
que a tantos deu de comer
ainda lembra mas não recorda

ao moliceiro desconhecido
na terra que o viu nascer
tudo mas tudo lhe é devido

tarda a hora de o fazer

(o ti zé rebeço revive a descarga com moliço, no cais do bico)

https://youtu.be/_wUYPqHAeo8

https://ahcravo.com/2017/06/30/ao-moliceiro-desconhecido/