quarta-feira, 8 de novembro de 2017

espero-me





no refazer dos dias
não se refaz o sonho

a rede que fiz
afoguei-me nela

do mar trouxe pedras
quando outros peixe

fui pescador sem o ser
corri muito para nada

cansado de tanto
vou ser eu onde

espero-me mais além

(torreira; 2016)

https://ahcravo.com/2017/11/08/maos-de-mar-33/