domingo, 14 de janeiro de 2018

Ás vezes






As vezes meu silencio, sou só eu em meu quarto
Comigo mesmo e só,
As vezes meu silencio é uma corda
As vezes meu silencio é um nó
As vezes meu silencio me acorda
As vezes meu silencio me acode
As vezes meu silencio me sacode
As vazes meu silencio é pior...
As vezes meu silencio é uma carta
As vezes meu silencio é um livro
As vezes meu silencio é um olhar
As vezes meu silencio é um aviso
As vezes meu silencio é só palavra
As vezes meu silencio é um prédio
As vezes meu silencio é uma bomba
As vezes meu silencio é só tédio
As vezes meu silencio é um leão, uma cobra
As vezes meu silencio é uma formiga
Uma amizade comigo
Uma intriga
Um trago
Um treco
Uma transa
Um trânsito
Um ego
As vezes meu silencio é tudo isso
As vezes meu silencio é nada disso
As vezes meu silencio é explosão.



Carlos Galdino.